Contato: +55 (21) 3332-3895|cmmc@cmmcturismo.com.br

praia das éguas

Mural CMMC – Angra dos Reis

Um Paraíso Ecológico
8 baías, 365 ilhas e 2.000 praias, contrastam com um relevo acidentado, coberto pelos diversos tons de verde da Mata Atlântica. Mar manso em perfeita harmonia com montanhas e cascatas fazem de Angra uma das regiões mais belas do mundo. Temos também a Ilha Grande,  situada ao sudeste de Angra com 155 Km de litoral, 106 praias e vilas. Onde você conhecerá praias semi-selvagens, rios, lagos, enseadas, cachoeiras e manguezais.
Do Agito das praias do centro as Ilhas, Angra é o endereço certo para quem gosta de mar.
Praias localizadas na Estrada do Contorno
A […]

Mural CMMC – Angra dos Reis / RJ

História de Angra dos Reis
Desde 1502, Angra dos Reis é uma cidade que despertou admiração por sua paísagem deslumbrante e paradisíaca. Com o descobrimento do Brasil, Portugal precisava tomar conta de seu novo território, e para fazer o reconhecimento, enviou três embarcações que chegaram a Angra dos Reis no dia 6 de janeiro de 1502, data comemorativa do Dia de Reis. Por homenagem, a cidade recebe o nome de Angra dos Reis.
Nessa época a região era habitada por indígenas da tribo Coianases, cujo o cacique era, Cunhambebe. A exploração começou através do povoamento, onde foram deixados escravos e exploradores. A primeir atividade econômica desenvolvida na região fora para fins de subsistência, tendo a caça, pesca e agricultura como pilares. No século XVII, surgem as grandes fazendas da região, onde a pecuária assume grande importância na economia local.
A cidade sofre, ao longo de sua história, grande influência da igreja católica. Vemos essa influência na prática, através do grande número de prédios construídos em função da religião. Inclusive nas ilhas de Angra dos Reis, como por exemplo a igreja do Senhor do Bomfim.
No século XVIII, Angra dos Reis passa a ter enorme importância para a economia do Brasil e de Portugal por se tornar um dos importante portões para a entrada e saída de produtos e cultura. A cidade torna-se parte da rota de ouro e diamante, que saíam de Minas Gerais e tinham seu porto de saída na cidade. Como porto, servia também para o escoamento da produção do café do Brasil.
Após anos sem grande desenvolvimento econômico, a região retoma seu crescimento através da linha férrea que liga Angra à ferrovia principal, aquecendo assim novamente o setor portuário. Os produtos que entravam e saíam pela […]